sábado, 12 de março de 2016

Todos somos marca!

Não te enganes! Tu és uma marca! 

E a forma como geres a tua marca define o teu sucesso pessoal e profissional.


Já alguma vez tinhas pensado nisso? Será que pensas que apenas os famosos é que são marca?


Olha para as fotos acima. Consegues identificar todas as pessoas? Consegues atribuir-lhes traços de personalidade que definem a sua marca pessoal?
Vejamos o exemplo de Angelina Jolie: humanitária, sociável, responsabilidade social, afectiva, criativa,...
As características da sua personalidade são então as características da sua marca. Quem goste da pessoa que ela é, a promova, vá ver os seus filmes, leia entrevistas com ela, à partida identifica-se com os traços da sua personalidade.

Então a marca não é o meu logo, ou cartão de visita, ou currículo, ou apresentação no Facebook?

Nahhhhh... da mesma forma que a marca Coca-Cola não é o seu logo, mas as características que atribuis à marca. 
Uma marca pessoal não é um cartão de visita, um currículo, um logotipo. Na realidade uma marca pessoal tem tudo a ver com a tua personalidade. 
A tua personalidade é um conjunto de características que descrevem o teu comportamento, como interpretas o mundo e respondes ao mesmo. 
É a forma como os outros te vêem que caracteriza a tua marca e, os outros atribuem-te características que são consequência dos teus comportamentos - "O Miguel é tímido", "A Susana é organizada", "O Pedro é cavalheiro", "A Maria é pontual", "O Rodrigo é bom ouvinte",... . 
Obviamente que poderás e deverás trabalhar a tua marca de forma que as características principais verificadas pelos outros sejam traços da tua personalidade que te tornam único.

De que forma isso me pode ajudar?
Nunca poderás fazer depender da tua marca, características divergentes da tua personalidade, pois com o tempo, por muito esforço que faças, são os traços da tua personalidade que serão evidenciados e a tua marca acaba prejudicada. De nada vale se fores a um entrevista de emprego dizer que és analítico e no primeiro dia de trabalho falhas os mais básicos cálculos matemáticos. Também de nada vale se marcares um encontro com uma rapariga, dizendo que és um cavalheiro e depois nem sequer lhe abres a porta.

Mas e se numa entrevista de emprego derem valor a características que eu não tenho, ou se encontrar alguém de quem gosto muito que gosta de pessoas cómicas e eu não conseguir ter piada?
Bem, antes de mais, foca-te!
Se numa entrevista de emprego dão prioridade a características que não tens, talvez seja boa ideia pensares muito bem sobre a carreira que pretendes seguir e o perfil que essa carreira implica. 
É importante olhares para ti enquanto pessoa e avaliares o que te faz realmente feliz. Muitos de nós estamos presos a empregos ou a pessoas porque alguém nos disse em algum momento da nossa vida que aquela era a vida ideal para nós. 
Mas é também importante que dês valor aos teus pontos fortes. Pensa no que te torna único. Será a tua criatividade? A tua espontaneidade? A tua boa disposição? O facto de saberes 4 línguas? De teres experiência de viveres deslocalizado? Ou talvez o facto de te conseguires adaptar facilmente à mudança? Não interessa! Usa essas características que te tornam único e promove-as como as características da tua marca. 


Os empregos que me aparecem não têm nada a ver com a carreira que desejava para mim. O que faço?
Bem, não te conheço, portanto não posso avaliar. Mas porque estás em empregos que não correspondem à carreira que ambicionavas para ti?
Será que não seguiste a formação que precisavas? Será que estás agarrado a empregos que te aparecem porque esses são seguros? Será que ficaste agarrado a um emprego que odiavas tempo demais por conforto?
Actualmente todas essas situações são mais que prováveis. Afinal, o nosso mercado de trabalho está longe de responder às necessidades actuais dos trabalhadores. 
Se estás num emprego que não gostas, mas sabes exactamente a carreira que queres seguir, define isso no teu plano, dá-lhe um prazo, define o que precisas de fazer para atingires a tua carreira de sonho e persegue-a.

Mas para que serve o plano de marketing pessoal?
O plano de marketing pessoal é uma ferramenta extraordinária pois ajuda-te a focares-te no que é realmente importante. 
Neste plano vais definir os teus objectivos, a tua missão e visão, o teu público-alvo, o que tens para oferecer e de que forma vais apresentar a tua marca ao teu target. 
Por outro lado, o plano vai ajudar-te a definir timings para cada uma das tarefas que precisas implementar para chegares ao teu objectivo final. 


Lembra-te de alguns pontos principais:
  • Foca-te naquelas características da tua personalidade que são verdadeiros pontos fortes e, eventualmente, até únicas. É essas que queres que os outros vejam e reconheçam em ti. 
  • Geralmente as marcas mais fortes são aquelas que têm um cariz emocional maior. Já reparaste na quantidade de anúncios publicitários que recorre à emoção para que atribuas à marca características humanas?
  • Revê os teus sonhos. Estás no caminho que traçaste para ti ou estás a tentar adaptar-te a situações que não são as que te fazem feliz?
  • Um plano de marketing pessoal pode ser uma grande ajuda para o teu dia-a-dia. Ajuda-te a focar nos teus objectivos e no que precisas fazer para os atingires. Ajuda-te também a lembrares-te todos os dias da razão porque acordas todos os dias de manhã e vais trabalhar.

Descobre mais sobre a tua marca pessoal, como desenvolver o teu plano de marketing pessoal e encontrar o teu emprego de sonho ou a tua relação perfeita através dos workshops:
- Workshop A Marca EU e a Procura de Emprego
- Workshop A Marca EU nas relações pessoais e amorosas

Para mais informações contacta-me: planeandoavida@gmail.com


Até já,

M@rta