sexta-feira, 13 de maio de 2016

Porquê comigo?




Temos por hábito queixarmo-nos de tudo o que corre mal na nossa vida. E, embora eu esteja a fazer um trabalho pessoal relativamente a isso, com resultados incríveis, por vezes ainda me salta a tampa do "porquê comigo?"... 



Hoje foi um desses dias quando me ligaram a dizer que o carro não tinha passado na inspecção! 
Como qualquer mulher, o meu carro é uma ferramenta para utilização e não um brinquedo cheio de mariquices e mimado como se fosse uma criança... mas tenho o cuidado habitual de o levar ao mecânico sempre que algo me preocupa... e nesse aspecto é bem cuidado... 

Ainda me consigo lembrar do dia em que o recebi... o bolinhas que sempre quis e pelo qual andei 2 anos a juntar dinheirinho era finalmente meu... 
Apaixonei-me pelo anúncio na televisão: um carro descapotável com a minha cara! 
Fiz um test drive e disse para mim "é este"!!!
Esperei por ele 2 meses mas valeu bem a pena. Desde esse dia o meu bolinha já passou pelas mais incríveis experiências... já dormi nele nos mais incríveis locais, já viajei muitos milhares de quilómetros, muitos deles com o tejadilho recolhido... é o carro que o meu sobrinho diz "quando tiver 18 anos vai ser meu, não vai?"

E, de repente, não passou na inspecção!
Hmmmm, imaginei logo a ameaça do vidro estalado e calculei que fosse isso. Fiquei à espera de mais notícias, mas já dizia a mim mesma "Bolas! Sinceramente! Porque vai isto acontecer agora? Porquê comigo? Porque não pensei em arranjar aquele vidro antes? Vou ter que alterar a minha agenda"... e muitos outros comentários mais agressivos... 


Mais tarde, com mais informação, lá soube "durante a inspecção a bomba traseira do travão rebentou"!!

E nesse momento pensei para mim como posso estar a dizer tanto disparate?! Ainda bem que aconteceu assim, como aconteceu... Se tivesse acontecido na estrada, quem precisava de assistência em viagem era eu e não o carro... 

E é precisamente nestes momentos que tenho a certeza de que o "porquê comigo?" não faz qualquer sentido. Quer percebas ou não, as coisas acontecem por alguma razão e quanto mais nos queixamos, mais atraímos a nós negatividade.

Por isso, vou fazer-te uma proposta:
Seja qual for a desculpa, este fim-de-semana desafio-te a não te queixares de absolutamente nada. E depois diz-me se não foi libertador!

Vou aproveitar o meu fim-de-semana sem carro e agradecer por ter acontecido tal como aconteceu.

Bom fim-de-semana.

M@rta